Após prestar assistência e acompanhar presencialmente os trabalhos realizados nos municípios de Faina e Itapirapuã, na região Noroeste do Estado, a equipe com técnicos da força-tarefa do Governo de Goiás, criada pelo governador Ronaldo Caiado, liderada nesta quinta-feira (13) pela secretária de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Andréa Vulcanis, retornou à região Nordeste.

Servidores do Estado continuam com o trabalho de socorro às vítimas dos estragos provocados pelas fortes chuvas. A força-tarefa já se estende por 18 dias em apoio aos moradores locais. Nesta quinta-feira (13), equipes médicas foram transportadas pelo helicóptero do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás (CBMGO), que está em Teresina de Goiás, até os povoados de São Domingos e Vão de Almas, em Cavalcante, para realizar atendimento às pessoas isoladas.

Os militares também fazem o trabalho de distribuição de cestas de alimentos e medicamentos. Foram beneficiadas cerca de 100 famílias de Cavalcante nas comunidades de São Domingos, Vão do Moleque e São José. Já outras 30 famílias de regiões do Ema e Diadema receberam a doação de filtros de barro e cestas básicas.

A secretária Andréa Vulcanis acompanhou a situação na comunidade quilombola de Magalhães, no município de Nova Roma. “Vir aos locais afetados pelas enchentes e conhecer de perto a realidade das pessoas são a melhor forma de traçar estratégias para ajudar as milhares de famílias que passam por dificuldades, principalmente no Nordeste goiano, castigado pelos altos volumes de chuvas das últimas semanas”, relata a secretária.

Em conversa com integrantes da Comunidade Quilombola Família Magalhães, Vulcanis reafirma o compromisso do governador Ronaldo Caiado de ajudar no que for preciso para que todos, em qualquer canto do Estado, recebam alimentos, remédios e água potável. A ajuda emergencial conta ainda com reparos em rodovias, nos acessos interditados, para que as famílias ilhadas possam se locomover até os municípios mais próximos.

“Só temos a agradecer a você [Andréa] e ao governador. Do que entendo de política, e não é de hoje, é a primeira vez que vejo a preocupação de um governo sempre olhando para nossa cidade”, assegurou o prefeito de Nova Roma, Eleuses Rodrigues Gonzaga.

A Semad disponibilizou recentemente um veículo com tração 4×4, modelo que consegue trafegar pelas estradas alagadas ou com barro e lama, para fazer a distribuição de mantimentos, que foram doados pelo Governo de Goiás, e medicamentos às comunidades afetadas pela chuva.

Na quarta-feira (13), ainda em Cavalcante, militares do Corpo de Bombeiros se deslocaram à região conhecida como Engenho 2, onde foi prestado atendimento à população. Uma senhora enferma do povoado de Morros precisou ser transportada até o município para atendimento médico. O helicóptero da corporação também resgatou uma idosa de 104 anos da região de Capela até Cavalcante para ser hospitalizada.

Números

Na região Nordeste, a força-tarefa já soma ações em 12 municípios e 26 comunidades. Até o momento, 6.036 cestas básicas foram encaminhadas para distribuição, além de 1.200 cobertores, dois mil pacotes do Mix do Bem, 200 filtros de barro, 500 porções de frutas desidratadas, 280 fardos com garrafas de água mineral, além de recipientes de álcool em gel.

Para o atendimento, foram utilizados, até agora, nove caminhonetes, seis canoas, um bote, helicóptero dos bombeiros, além de unidade de resgate, veículo administrativo e veículo de abastecimento.

Fazem parte da ação conjunta a Semad, Secretaria de Estado Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), CBMGO, Defesa Civil do Estado de Goiás, Organização das Voluntárias de Goiás (OVG), Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater Goiás) e Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Seds).

Vistoria de barragens

Em paralelo à ajuda humanitária nas comunidades que sofrem com os efeitos das enchentes, técnicos da Semad também vistoriaram, nesta quinta-feira (14), três barragens localizadas nos municípios de Itaberaí, Jussara e Itapirapuã. De acordo com relatos das autoridades ambientais, os empreendimentos apresentam riscos de rompimento devido às fortes chuvas que caem em todo o Estado desde meados de dezembro de 2021, e que provocaram transbordamentos.

A ação de segurança visa à tomada de medidas preventivas, com o objetivo de resguardar os barramentos e, principalmente, as vidas de pessoas que vivem na região. Desde 2019 que o Governo de Goiás, por meio da Semad, intensifica a política de segurança de barragens. Mais de cinco mil reservatórios já estão cadastrados no sistema da pasta.

Balanço no Estado

Levantamento da Defesa Civil de Goiás em 18 municípios afetados pelas chuvas, até nesta quarta-feira (13), constatou que 17 pessoas estão desabrigadas. Dez em Flores de Goiás, seis em Cavalcante e uma em Cocalzinho de Goiás. Os desalojados são 517. Os municípios comprometidos são Cavalcante (334), Monte Alegre (75), Niquelândia (52), Pirenópolis (40), Teresina de Goiás (15) e Guarani de Goiás (1).

Sobre o número total de pessoas impactadas pelas chuvas no Estado, considerando afetados, feridos, desabrigados e desalojados, segundo a Defesa Civil, são 19.274. Em Cavalcante (2.370), Guarani de Goiás (2.516), São Domingos (2.500), Monte Alegre (2.455), Teresina de Goiás (1.815), Flores de Goiás (1.510); São João d’Aliança (1.400), Pirenópolis (1.040), Nova Roma (1.000), Niquelândia (882) e Cocalzinho de Goiás (301). 

Entre os impactados com a chuva, 20 encontram-se doentes, uma está ferida e, infelizmente, os temporais causaram uma morte. Foi em Guarani de Goiás, quando Tamires Alves dos Santos, de quatro anos, caiu em um riacho e acabou sendo levada pela correnteza. O corpo dela foi encontrado após seis dias de trabalho do Corpo de Bombeiros. O governador Ronaldo Caiado esteve na casa da família para prestar solidariedade.

Chuvas diminuem

De acordo com o Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (Cimehgo), da Semad, o prognóstico para este fim de semana no Estado é de que, a partir desta sexta-feira (14), as áreas de instabilidade diminuam em decorrência da formação de um bloqueio atmosférico, o que vai dificultar a formação de nuvens de chuva, e, consequentemente, possibilitará mais horas de sol.

“Com isso, para os próximos dias teremos o tempo mais estável e, para essas regiões afetadas, no Norte, Nordeste e Centro-Oeste, vamos ter uma redução drástica de chuva; isso vai favorecer a diminuição dos níveis dos rios, onde enfrentamos problemas”, explica o gerente do Cimehgo, André Amorim.

Fonte: Secom – Governo de Goiás



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here