O Instituto Brasília Ambiental inicia nesta terça (3), por meio da Unidade de Educação Ambiental (Educ), as inscrições do segundo semestre para o projeto Parque Educador. O cadastro está aberto até o dia 13, nas unidades do instituto, para escolas públicas do DF que tiverem interesse em oferecer educação ambiental e patrimonial aos estudantes.

Com as recomendações de distanciamento social, os alunos não poderão frequentar as unidades de conservação para aulas de campo, mas as escolas participantes deste semestre terão prioridade na retomada das visitas.

Turmas

“As aulas serão disponibilizadas uma vez por semana, na mesma plataforma utilizada pelas escolas para aulas convencionais”, explica o educador ambiental Luiz Felipe Blanco, coordenador do projeto. “Também serão utilizadas redes sociais e outras ferramentas que contribuam com o trabalho e incentivem o engajamento dos alunos”.

Blanco informa que serão selecionadas 36 turmas, cada uma no máximo com 40 alunos. “Mesmo de longe, continuaremos incentivando os alunos a criarem uma relação de pertencimento com o ambiente em que vivem”, reforça. O resultado da seleção será divulgado no dia 16 deste mês.

Atualmente, o programa está presente nas unidades de conservação, na Estação Ecológica de Águas Emendadas/Parque Ecológico Sucupira e nos parques ecológicos de Águas Claras, Saburo Onoyama, Três Meninas e Vivencial do Riacho Fundo.

 Integração ambiental

Fruto de parceria entre as secretarias de Educação (SEE) e de Meio Ambiente (Sema), o projeto Parque Educador já contemplou cerca de 10 mil alunos em todo o DF. Foi pensado e idealizado para fortalecer a educação ambiental, ampliar o espaço educativo das escolas públicas e aumentar a integração dos parques com a comunidade. Os conteúdos estudados em sala de aula são ampliados por meio de trilhas guiadas, oficinas, práticas integrativas de saúde, palestras e vivências na natureza.

  • Com informações do Brasília Ambiental

Fonte: Agência Brasilia