Durante vários ataques registrados na Nigéria ao longo do mês passado, Jihadistas teriam queimado crianças cristãs além do reconhecimento.

Os jihadistas atacaram em 15 e 25 de agosto em áreas dentro do perímetro de Jos, Nigéria, deixando 40 cristãos mortos, incluindo uma dúzia de crianças.

No dia 15 militantes fulani mataram sete cristãos do qual três eram estudantes universitários. Um dos estudantes assassinados, Bitrus Danboyi, estava voltando da igreja quando o islamita o atacou.

Na noite do dia 25, outro ataque a cristãos, desta vez, foram 16 mortos com armas e facões, enquanto outros 17 foram queimados junto com suas casas. Os que foram queimados já estavam irreconhecíveis e incluíam várias crianças cujas idades variavam de quatro a dezessete anos de idade.

“Entre as vítimas queimadas além do reconhecimento nas casas, estavam Sunday Bunu uma menina de 4 anos; Timara Ishaya de 5 anos; Bondade Bala de 8 anos; Lovina Markus de 13 anos; Ephraim Hosea, 9 anos; Titus Bitrus, 13 anos; Silvanus Dauda, Barnaba Hosea e Yunana Bitrus, de 17 anos”, segundo o líder comunitário.

De acordo com Christianity Daily, no mês passado, os militantes Fulani queimaram um orfanato, o Orfanato Binta, mas, ao contrário do ataque no dia 25, as 157 crianças do orfanato conseguiram escapar vivas. Os órfãos foram na verdade vítimas dos Boko Haram e Fulani, pois seus pais foram mortos em um ataque anterior.

“Os cristãos são muitas vezes assassinados ou têm suas propriedades e meios de sustento destruídos. Homens e meninos são particularmente vulneráveis a serem mortos. As mulheres e crianças deixadas para trás são muito vulneráveis e testemunhas vivas para o poder dos agressores. Os criminosos raramente são levados à justiça. As mulheres cristãs são frequentemente sequestradas e estupradas por esses grupos militantes e, às vezes, forçadas a se casar com muçulmanos”, de acordo com o site do Open Doors USA.



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here