O último levantamento da safra 2020/2021, divulgado nesta quinta-feira (9/9) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), corroborou a estimativa de crescimento das culturas de soja e arroz em Goiás. No caso da soja, o cálculo mostrou um aumento 4,3% na produção, que saiu de 13,2 milhões de toneladas na safra 19/20 para 13,7 milhões de toneladas na safra atual. No caso do arroz, o salto foi de 8,7% em produção, saindo de 120,4 mil para 130,9 mil toneladas. Outra boa notícia é que o Estado manteve a primeira posição no ranking nacional de maiores produtores de sorgo e girassol.

Os dados da Conab apontaram, por outro lado, que fatores climáticos como secas e geadas provocaram prejuízos à produção de grãos da maioria dos Estados. Houve queda nas estimativas para 18 unidades federativas, incluindo todo o Centro-Oeste e Sudeste, boa parte do Nordeste e do Sul. Amapá (-75%), Paraíba (-38,9%) e Ceará (-25,7%) registraram as maiores perdas. Para Goiás, o levantamento indicou uma produção total de 23,7 milhões de toneladas de grãos, redução de 13,8% em relação à temporada anterior.

“Os problemas climáticos afetaram boa parte das regiões produtoras, e não foi diferente em Goiás. As culturas de segunda safra sofreram bastante, principalmente o milho safrinha”, ressalta o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça. “Por outro lado, nosso carro-chefe, a soja, apresentou excelente desempenho nesta temporada e a expectativa é que o novo ciclo, após o vazio sanitário, seja de expansão da produção. Embora com menor peso na nossa produção, o trigo também se saiu bem e cresceu acima da média”, cita.

A estimativa da Conab para o trigo em Goiás foi de aumento de 39,9% em relação à safra 19/20: a produção subiu de 92,4 mil para 129,3 mil toneladas na safra 20/21. A média nacional foi de aumento de 30,8%.

Em nível nacional, a produção total apresentou uma variação de -1,8% em relação à safra passada. Segundo a estimativa da Conab, foram produzidas 252,3 milhões de toneladas de grãos na safra atual contra 257 milhões no ciclo anterior. Entre as principais culturas, a soja cresceu 8,9%, atingindo 135,9 milhões de toneladas. Já o milho (total) encolheu 16,4%, saindo de 102,6 milhões de toneladas para 85,7 milhões de toneladas. A produção de arroz expandiu 5% e a de feijão (total) retraiu 11,4%.

O 12º Levantamento da Conab encerrou a série sobre a safra 20/21. A partir de outubro, a companhia passará a divulgar as estimativas referentes ao próximo ciclo.

IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também divulgou sua estimativa para a safra 2021 nesta quinta-feira (9/9). De acordo com o levantamento, Goiás assumiu a 8º posição entre os Estados que mais produzem laranja, com crescimento de 12,4%. Entre outros destaques, a produção de uva subiu 11%, a de mandioca, 10,9%, e a de banana, 5%.

Para o superintendente de Produção Rural Sustentável da Seapa, Donalvam Maia, estes resultados comprovam o potencial do Estado em segmentos como o da fruticultura. “O Governo de Goiás vem desenvolvendo um trabalho de mapeamento de oportunidades e incentivo a essa atividade. Já sabemos que existe um ótimo potencial para a produção de frutas em território goiano, sobretudo nas regiões Norte e Nordeste, uma vez que pode ser feito em pequenas propriedades com uma perspectiva de agregação de valor. Estamos estruturando a Emater para ampliar o alcance da assistência técnica, articulando as cadeias produtivas e trabalhando para liberar linhas de crédito com condições facilitadas ao produtor”, informa.

Comunicação Setorial da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) – Governo de Goiás



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here