O filipino Ernie Gawilan de 30 anos sobreviveu a uma tentativa de aborto, resultando no nascimento de Ernie com o braço esquerdo e pernas subdesenvolvidas. Apesar disso, Gawilan ganhou duas medalhas de prata e três medalhas de ouro nos Jogos da Ásia de 2018, realizados na Indonésia

O Comitê Paralímpico Internacional disse que Gawilan se tornou o primeiro atleta filipino de qualquer esporte a ganhar uma medalha de ouro nos Para-Jogos Asiáticos.

Segundo Christianity Daily, Gawilan participou pela primeira vez dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro em 2016 e embora ele não tenha vencido na competição, o mais interessante em sua participação foi que ele acabou participando de um curta-metragem.

Antes dos Jogos Paralímpicos, Gawilan competiu no Campeonato Mundial Internacional de Natação Paralímpica de 2015, realizado em Glasgow, na Grã-Bretanha. Ele está agora competindo nos Jogos Paraolímpicos de Tóquio 2020

“Eu devo ter sido um bom nadador até mesmo no ventre da minha mãe porque eu sobrevivi ao aborto. Eu só nadei”, disse Gawilan em uma entrevista.

Na entrevista, Gawilan revelou que seu pai o abandonou e, em seguida, sua mãe morreu de cólera quando ele tinha apenas 5 meses de idade. Seus avós o criaram. Ele contou como sofreu bullying por causa de sua deformidade. Quando ele tinha nove anos, um empresário conseguiu convencer sua avó a mandá-lo para um centro juvenil para deficientes.

Gawilan participou do Festival Olímpico das Filipinas de 2008, sua primeira competição de natação. Ele ganhou o segundo lugar, o que o levou a se juntar à equipe nacional porque o primeiro colocado, Arnel Aba, notou seus esforços e o trouxe para Manila como parte da equipe nacional.

Desde então, Gawilan viajou para muitos países competindo na natação e chegando ao Japão para as Paraolimpíadas de 2020.

No entanto, o caminho para se tornar um campeão não foi fácil. Uma colega de equipe, Rose Charlie Bustos, revelou que Gawilan não se importava com Deus, e O culpava por como Ele havia o criado. Porém, Gawilan encontrou Deus através da natação e percebeu que Deus nunca o abandonou.

“No mês passado fiquei doente, senhor, mas consegui voltar por causa da minha em Deus. Sem Ele eu não posso fazer isso, eu confio em tudo nEle”, disse Gawilan após ter ficado doente enquanto treinava para as Paraolimpíadas de 2016.



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here