Existem alguns crimes bárbaros cometidos contra crianças que chocaram Goiás em 2021. Eles chamam a atenção pelo perfil dos envolvidos, pela brutalidade e crueldade. Relembre alguns que foram registrados somente nos cinco primeiros meses deste ano.

Um dos acontecimentos mais recentes e chocantes registrados em 2021 é o caso de um recém-nascido que foi abandonado e carbonizado em um lote baldio, em Anápolis, a 55 quilômetros de Goiânia. O crime teria sido cometido pela própria mãe, que escondeu a gravidez de familiares, amigos e até do namorado.

Um vídeo divulgado pela Polícia Civil (PC) mostra o momento que uma mãe abandona o bebê em um lote baldio para atear fogo. Nas imagens é possível ver a jovem levando o corpo do bebê para o fundo do lote numa caixa de papelão branca e voltando ao carro para pegar o álcool e o isqueiro utilizados para atear fogo. (veja abaixo)

De acordo com a Polícia Civil, o corpo dele estava parcialmente carbonizado. Em uma das pernas do recém-nascido estava uma pulseira com a identificação do hospital e com parte do nome da mãe. Durante interrogatório, a autora confessou a prática do delito e disse que amamentou o bebê apenas no seu primeiro dia de vida e que não sabe se ele estava vivo ou morto no momento em que colocou fogo no corpo. Ela foi presa em flagrante pelo crime de ocultação de cadáver.

Outros crimes bárbaros contra crianças que chocaram Goiás em 2021

Um outro crime bárbaro foi registrado este mês em Goiânia. Uma criança de 3 anos foi levada ao Hospital Materno Infantil com diversos ferimentos pelo corpo, estava sem duas unhas e lesões no intestino.

A equipe médica do hospital percebeu que a criança era vítima de agressão há alguns dias e acionou o Conselho Tutelar, que comunicou o fato à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), que imediatamente iniciou as diligências.

Em depoimento à Polícia Civil, a mãe nega que tenha causado as lesões na criança, mas a menina chegou a perder 30 centímetros do intestino delgado por causa de uma necrose causada por um trauma contundente. A criança passou por cirurgia e ainda está hospitalizada.

Segundo a Polícia Civil, a mãe, de 25 anos, está grávida e deve ser indiciada pelo crime de tortura qualificada por lesão grave praticado contra a filha.

Bebê é levada ao hospital com mais de 30 lesões no corpo, em Anápolis

No último dia 10 deste mês, uma bebê de seis meses foi levada ao hospital com mais de 30 lesões pelo corpo, em Anápolis. Uma médica chamou a Polícia Militar de Goiás (PMGO) e o Conselho Tutelar após atender a criança.

Em depoimento à Polícia Civil, o pai disse que pode ter machucado a filha “sem querer”. Segundo a delegada Kênia Duarte, na época que interrogou o pai da criança ele contou que acredita que os hematomas possam ter sido feitos enquanto estava com ela no colo e se abaixou para pegar um celular ou ao massagear o tórax dela para reanimá-la, antes dela ser levada ao hospital.

O homem de 27 anos foi preso no último dia 20 de maio e é investigado como possível autor das várias lesões praticadas contra a filha.

Bebê de 9 meses é encontrado morto em Cidade Ocidental

Um outro caso vitimou um bebê de 9 meses, em Cidade Ocidental, no Entorno do Distrito Federal. O menino, que tem um irmão gêmeo, foi encontrado morto pela mãe dentro de casa.

Segundo informações, a mãe teria deixado os filhos em casa durante a madrugada e saiu para uma cidade vizinha. Quando retornou pela manhã, encontrou o bebê já sem vida e acionou a polícia.

A mulher foi autuada em flagrante por maus-tratos com resultado morte.

Recém-nascido é encontrado dentro de saco de lixo em lote baldio, em Nerópolis

Um recém-nascido morreu após ser encontrado dentro de um saco de lixo em lote baldio no último dia 23 de março, em Nerópolis, na região metropolitana de Goiânia. O menino foi internado no Hospital São Judas Tadeu e respirava com a ajuda de aparelhos, mas não resistiu e morreu no último dia 31 de março.

A mãe do bebê é investigada por abandonar a criança. Em depoimento à polícia, ela confessou que escondeu a gravidez do marido porque ele não queria ter mais filhos, pois já tem dois de outro casamento.

Ela contou que o marido estava viajando e aproveitou a ocasião para tomar medicamento para induzir o parto, que foi feito no banheiro de casa. Posteriormente colocou a criança dentro do saco e deixou em um lote baldio.

Mãe é presa suspeita de queimar filho após dar à luz, em Aparecida de Goiânia

Em março deste ano, uma mulher, de 32 anos, foi presa suspeita de queimar o filho após dar à luz, em Aparecida de Goiânia. Em depoimento à Polícia Civil, a mulher alegou que o filho nasceu morto e, por isso, colocou o recém-nascido em uma caixa, levou até o quintal e colocou fogo em volta.

O caso foi descoberto após familiares suspeitarem do paradeiro do recém-nascido, pois perceberam que ela não estava mais grávida, porém não havia bebê também.

Na ocasião, a mulher foi presa, mas liberada para responder pelo crime em liberdade após pagar fiança. Ela deve ser investigada por homicídio ou infanticídio.

!function(e,t,n,c,o,a,f){e.fbq||(o=e.fbq=function(){o.callMethod?o.callMethod.apply(o,arguments):o.queue.push(arguments)},e._fbq||(e._fbq=o),o.push=o,o.loaded=!0,o.version=”2.0″,o.queue=[],a=t.createElement(n),a.async=!0,a.src=c,f=t.getElementsByTagName(n)[0],f.parentNode.insertBefore(a,f))}(window,document,”script”,”https://connect.facebook.net/en_US/fbevents.js”),fbq(“init”,”478266922509332″),fbq(“track”,”PageView”);



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here