Em 2008, Maria Augusta recebeu o transplante de coração após pedir de aniversário Reprodução internet

Por O Dia

Publicado 04/05/2021 16:45

Morreu de covid-19 na segunda-feira, dia 3, Maria Augusta dos Anjos, de 51 anos, que recebeu o transplante do coração de Eloá Cristina Pimentel, jovem de 15 anos mantida refém e morta pelo ex-namorado Lindemberg Fernandes, em Santo André, São Paulo. A informação foi confirmada pela sobrinha de Maria Augusta, Jeanne Carla, em uma rede social.

Maria Augusta estava internado em um hospital em Parauapebas, no Pará, e tinha cerca de 75% do pulmão comprometido. A família chegou a fazer uma varquinha virtual para arrecadar doações para ajudar no tratamento.

“Ligaram do hospital no final da tarde e hoje (dia 3 de maio) foi o dia escolhido: nosso pai celestial recolheu a Augusta para a vida eterna, para morar ao seu lado, para abraçá-la e dizer ‘Ah filha, que bom que você chegou, vem aqui perto do Papai’. Hoje, chegou ao fim todo seu sofrimento, sem remédios, sem cirurgias, sem agulhas, sem máquinas… apenas a grandiosa face de Deus!”, escreveu a sobrinha.

Jeanne ainda afirmou que os anos que a tia enfrentou foram muito difíceis. “Minha tia Augusta viveu 51 anos. Foram anos difíceis, cheios de batalhas e grandes vitórias. Ela viveu da melhor forma que podia e todos nós, unidos, ao longo desses 51 anos, proporcionamos os melhores momentos e as melhores coisas pra ela, por ela e com ela”, disse ela. 

Augusta nasceu com uma grave cardiopatia e somente um transplante conseguiria salvá-la. Em 2008, ela rezou para que no dia de seu aniversário recebesse um novo coração. Foi então, após a morte de Eloá, que o órgão teve compatibilidade justamente com Maria Augusta. Desde então, ela passou a ter uma qualidade de vida.

No total, cinco pessoas receberam sete órgãos doados pela família de Eloá depois da morte da adolescente. Foram aproveitados o coração, dois pulmões, pâncreas, fígado e rins. 



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here