Jorge Kajuru e Silas Malafaia (Reprodução)

O senador Jorge Kajuru (Podemos-GO) criticou duramente o pastor Silas Malafaia após o UOL revelar que a igreja e a editora dirigidas pelo religioso devem milhões para a União.

O parlamentar xingou o pastor pelas redes sociais, chamando ele de “pilantra”. Malafaia, por sua vez, rebateu, chamando o senador de “canalha”.

Uma reportagem do site mostrou que a Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo e a editora Central Gospel têm R$ 4,6 milhões em impostos, inscritos como dívida ativa da União. Desse valor, R$ 1,3 milhão está sendo parcelado.

O senador compartilhou a matéria no perfil de suas redes sociais, e escreveu: “A porta desse pilantra certamente não será a do céu”.

O líder religioso se defendeu e chamou o parlamentar de “canalha”.

“Respondendo ao senador ‘canalha’ Kajuru: não estou sendo processado em instância nenhuma por sonegação fiscal. Qualquer um, seja pessoa física ou jurídica, pode parcelar suas dívidas com a Receita [Federal]. Não há nenhuma ilegalidade nisso. Nos últimos anos a igreja pagou milhões à Receita”, ressaltou.

Nesta segunda-feira (17), o site UOL revelou que a editora Central Gospel e a Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, ambas do pastor Silas Malafaia, estão devendo R$ 4,6 milhões em impostos.

De acordo com o UOL, os dados Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) se referem a fevereiro de 2021, e foram obtidos através da Lei de Acesso à Informação (LAI). O site ainda afirma que, esse valor é quase o triplo do registrado em dezembro de 2018, quando a dívida somava R$ 1,59 milhão.

A Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), presidida por Malafaia, tem R$ 2,89 milhões em dívidas totais, no que se refere a contribuições previdenciárias e impostos de renda.

Já a editora Central Gospel, na qual o pastor é sócio-administrador, e a sua esposa Elizete também é sócia, possui R$ 26.000 em débitos da Contribuição Social do Lucro Líquido (CSLL). De acordo com o UOL, a editora possui R$ 1,76 milhão em dívida ativa no total. Ela também está em recuperação judicial – meio utilizado por empresas para evitar que sejam levadas à falência – desde 2019.

A CSLL foi tema de uma mudança na lei que pode criar um perdão bilionário em impostos de dívidas de igrejas, segundo dados da Receita Federal. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e a bancada evangélica atuaram para modificar a legislação num movimento contrário às “absurdas multas” contra igrejas.

O pastor que em 2013 realizou o casamento religioso de Jair Bolsonaro e da primeira-dama Michelle, disse ao UOL que pagou R$ 7 milhões em impostos desde 2018.

Malafaia também disse ao site que, parte dos débitos que possui é questionada na Justiça e na Receita, com base na nova lei, que pode criar um perdão bilionário em impostos de dívidas de igrejas.

O pastor informou ainda que o crescimento dos valores está ligado ao refinanciamento de outra parte das dívidas e com o aumento de funcionários por causa da abertura de mais de 40 templos desde 2019.

“Para se ter ideia, agora, estamos inaugurando oito igrejas. Isso requer secretário, zelador, pastor e tudo isso”, afirmou o pastor.

 

(function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(d.getElementById(id))return;js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=”https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v3.0″;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}(document,’script’,’facebook-jssdk’));(function(d,s,id){var js,fjs=d.getElementsByTagName(s)[0];if(d.getElementById(id))return;js=d.createElement(s);js.id=id;js.src=”https://connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.10&appId=214840172197552″;fjs.parentNode.insertBefore(js,fjs);}(document,’script’,’facebook-jssdk’));



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here