Depois de atos que mobilizaram milhares de pessoas em todo o Brasil, o dia 15 de maio foi programado para que manifestantes em favor do governo Bolsonaro voltem às ruas, mas desta vez pela Marcha da Família Cristã pela Liberdade.

A expectativa da segunda edição do evento, que acontece em Brasília, é contar com a participação de até duzentas cidades, e deve receber força de uma manifestação de ruralistas.

O principal ponto da próxima manifestação é lutar pela adoção do voto impresso nas eleições de 2022, que precisa ser aprovada até o início de outubro para começar a valer na próxima eleição.

Além disso, o evento que marca o Dia Internacional da Família, vai protestar contra as restrições impostas pelos estados e municípios contra o funcionamento das igrejas e também do setor privado.

Ruralistas e caminhoneiros estarão presentes no ato

Wellington Macedo, jornalista e estudante de Direito, que reside em Brasília, é um dos idealizadores do ato. Ele contou que a ideia da Marcha surgiu em março depois de um momento de oração, por uma inspiração divina.

Logo, ele publicou uma mensagem pedindo apoio e recebeu mais de trezentos e-mails de todas as regiões do país. Macedo deixou bem claro que a marcha é contra a intervenção militar no Brasil.

A capital federal também recebeu no mesmo dia 15, uma manifestação do agronegócio, junto com uma liderança regional dos caminhoneiros, que juntarão forças com a Marcha para apoiar Bolsonaro, que também confirmou presença no evento.

“Dia 15 agora tem um grande encontro aqui em Brasília dos produtores rurais. Tem gente do Brasil todo. E eu já assumi que eu vou estar no meio deles, não tem conversa. E vou convidar todos os ministros meus”, disse o presidente.



Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here